Cursos WSET em Porto Alegre – formando Sommeliers

Porto Alegre conta atualmente com os cursos do Wine and Spirits Education Trust (WSET), prestigiosa instituição inglesa voltada para a formação de Sommeliers. As aulas são uma ótima pedida tanto para quem trabalha com vinhos como para quem quer aprender mais sobre o assunto. O Blog Movido a Vinho acompanhou uma edição do WSET nível 1 e aproveita para compartilhar essa experiência com os leitores.

Turma concentrada acompanha a aula da professora Jéssica Marinzeck

Turma concentrada e taças preparadas para a aula do WSET

Para muita gente o termo “Sommelier” ainda é um pouco incomum, por isso não custa uma pequena digressão: Sommelier é o nome dado à profissão (e ao profissional) que se dedica ao conhecimento do vinho e do seu serviço. Trata-se de uma atividade séria, que envolve muito estudo sobre uvas, regiões produtoras, tipos de vinho, harmonizações e regras de conduta. Alguns desses especialistas se aplicam a outras bebidas – como uísque, saquê e (rufar de tambores) até água! Além disso, vale apontar que o Sommelier é diferente do Enólogo, que se especializa nas técnicas de produção do vinho.

Sommelière e professora Jéssica Marinzeck

Sommelière (e agora professora) Jessica Marinzeck

Há diferentes perfis de profissionais que atuam nessa área, então vou aproveitar para dar dois exemplos extraídos do próprio curso: sob os holofotes, tive o prazer de conhecer a Sommelière Jessica Marinzeck, que veio a Porto Alegre exclusivamente para ministrar as aulas. Ela é bem conhecida no Brasil pelo seu trabalho com o Canal do Vinho, onde reúne vídeos curtos dedicados a explicar aspectos da bebida.

Do lado dos alunos, contei com a companhia do competente Armando Oliveira, entrevistado pelo Movido a Vinho no post sobre a Garage Vinhos. Ele estava ali por reconhecer a qualidade do WSET como escola e para buscar a certificação internacional que o curso oferece. Não achei foto dele no evento para colocar no post, mas quem quiser espiar pode encontrar o Armando bem à direita na foto de abertura.

Há pouco tempo, a formação séria de Sommeliers  se concentrava em São Paulo e na Serra Gaúcha, que devido à relevante presença de vinícolas trouxe ao Brasil alguns cursos da área. Apenas recentemente Porto Alegre começou a oferecer preparação específica. Vale citar, por exemplo, o curso de Sommelier do SENAC, que tentou reduzir a lacuna na área. Por esse motivo, a vinda do WSET para Porto Alegre é um acontecimento a ser notado.

O curso que assisti foi organizado pela Eno Cultura, escola de projetos de vinho que promove o WSET e outros eventos (como palestras com Mestres Sommeliers e enólogos internacionais). Embora raros, outros operadores autorizados podem ministrar os cursos da WSET, como é o caso do The Wine School. Não tenho cacife para falar de uma escola em relação à outra, mas o Marcelo Vargas foi rápido em vestir a camisa da Eno Cultura. “Ela é uma escola seria, com credibilidade para quem quer se formar na área”.

Foto descaradamente troubada do facebook: Marcelo Vargas na Expovinis

Foto honestamente roubada das redes sociais: Marcelo Vargas no julgamento dos melhores vinhos da ExpoVinis 2015, categoria abaixo de R$ 50 (crédito: Lilian Lima)

O Marcelo (foto ao lado) é mais conhecido pelo trabalho dele como editor do portal Sobre Vinho, verdadeira referência para os winebloggers brasileiros. Além disso, ele tem sido bem ativo junto à seccional gaúcha da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers), que está tentando se renovar. Ele é certamente alguém com boas credenciais para se envolver num projeto como este, tendo assumido papel de embaixador do Eno Cultura para Porto Alegre e Região Sul do Brasil.

O Marcelo foi quem me contou melhor o funcionamento da Wine and Spirits Education Trust, que vou tentar resumir aqui. Foi uma conversa longa sobre temas variados, por isso quero aproveitar para deixar registrado meu agradecimento pelo tempo dele e pelas boas sugestões que ele deu ao blog.

“O WSET é provavelmente o curso de formação mais importante hoje, pois tem um modelo mais prático que outras escolas, focado no mercado e em conhecimentos objetivos”, explicou Marcelo. São ao todo quatro níveis de formação, que têm duração e dificuldade crescente. Todos os módulos abordam estilos de vinho (com seus descritores respectivos), intercalando leituras a serem feitas em casa e aulas explicativas (que servem também para tirar dúvidas).

Degustação técnica – vinhos usados no curso para mostrar descritores e estilos regionais

O primeiro módulo, que acompanhei, foi previsto para dois dias (ou um dia intensivo) e aborda temas gerais de harmonização, serviço, descritores e tipos de vinho mais conhecidos (doze, para ser exato). Já o segundo módulo aborda 50 variedades, além de alguns tipos de destilados, sendo necessário cerca de cinco ou seis aulas para ver todo o conteúdo. O nível três aprofunda os parâmetros a serem analisados em cada vinho, além de aumentar o escopo para 90 estilos. Em todos os níveis, a avaliação é feita por meio de provas lacradas, que vêm de Londres e voltam para ser corrigidas por lá. Felizmente, as aulas, os textos e as provas são traduzidos para o português.

Por hora, apenas os níveis um e dois estão disponíveis em Porto Alegre, enquanto o nível três ocorre em São Paulo. Mas e o nível quatro? Bem, ao contrário dos demais, ele tradicionalmente acontece somente na Inglaterra e nos Estados Unidos, sempre em inglês. Uma primeira turma está prevista para ocorrer no Brasil, usando Ensino a Distância e algumas Master Class (aulas ministradas por Mestres Sommeliers). Assim que essa novidade estiver confirmada, espero poder retransmitir por aqui.

Posso dizer que fiquei bem satisfeito com o trabalho da Eno Cultura e gostarei bastante de voltar a estudar com eles. Por outro lado, ainda não conheço a Wine School e, por isso, me abstenho de emitir opinião. A diferença entre as duas parece estar na proposta didática, visto que ambas usam o mesmo material e prestam as mesmas provas da WSET. Para que os curiosos possam tirar suas próprias conclusões, os dois links podem ser encontrados mais acima, no corpo do texto.

De qualquer maneira, ambas as iniciativas merecem palmas, pois suprem uma lacuna de profissionais bem formados no Rio Grande do Sul e, especialmente, em Porto Alegre. “Nas lojas da cidade ainda tem pouca mão-de-obra qualificada, e os bons profissionais estão praticamente todos empregados”, resume Marcelo.

Cabe dizer que esses cursos são uma opção muito interessante também para quem não pretende trabalhar na área. É uma via para quer dar os primeiros passos no mundo do vinho como um “amador qualificado”. Ninguém vira especialista em vinhos de um dia para outro, mas nada melhor para começar do que buscar um suporte bem estruturado e didático. Na dúvida, vale a pena ir atrás e conversar com eles!

7 comentários sobre “Cursos WSET em Porto Alegre – formando Sommeliers

  1. Bom dia
    A ideia de participar de uma curso de somellier é bem interessante, portanto gostaria de receber informações sobre o valor do curso e como fazer inscrição para tal.

    Att.
    José Nilton Morais Spat

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s